selva #08

Selva termina a primeira série de jornadas em busca de sementes para
replantar alimentos e emoções. Já é hora de voltar para casa e desfrutar
das cores, sabores e cheiros ao lado de outros seres. Ela descansa,
revisita as memórias nômades e planeja outros ares e vôos.

selva #07

Selva chega numa ilha chamada Eneida. Um lugar latente, que respira, e cheio de detalhes. Selva se identifica e se conecta com a Ilha Eneida e sente muita felicidade com essa passagem.

selva #06

Selva finalmente descansa. Enquanto dorme abraçada pela terra, tudo está em movimento, e todos os seres estão acordados cuidando da pequena guerreira sensível. O mundo dos sonhos se misturam com a realidade. A vida explode nesse tempo-espaço.

selva #05

Selva descobre montanhas douradas e cheirosas e segue seu caminho e
desejo de encontrar e recolher sementes. Mas a força humana corta as
montanhas em pedaços. Selva insiste e persiste com seu olhar atento e
Poético.

selva #04

A cápsula de Selva cai num território doente de tanto metal extraído das profundezas. Selva quase não tem força para germinar. A fumaça do metal dificulta a respiração de Selva. Mas onde há poesia e fluxo, há vida.

selva #03

Selva se sente exausta e tenta descansar, mas a floresta de papel é destruída enquanto ela dorme. Ainda saindo do mundo dos sonhos, Selva enfrenta seres com fome de terra e árvores. O papel um dia foi árvore.

selva #02

No capítulo 2, a cápsula viva da Selva pousa em um oceano estranho, de texturas sintéticas, transparentes.
Será que esse pequeno ser encontrará vida nessa nesse espaço inóspito?

selva #01

Selva é uma criança que viaja em uma cápsula de matérias vivas.
Selva pode se transportar e acordar em longínquas florestas ou no nosso próprio estômago.